17 de abril de 2020
3 min de leitura

Controle de Estoque, sem mistério!

Foto da postagem Controle de Estoque, sem mistério!

Vamos contar um pouco da história e o quanto essa ferramenta pode ajudar a melhorar os resultados da sua empresa

Por Heitor Saadj
GERENTE DE CONTAS

Pouco se sabe sobre a verdadeira história do controle de estoque que utilizamos atualmente. Existem relatos dos antigos egípcios que já utilizavam maneiras de controle de grãos, cereais e plantações, maneiras que foram evoluindo para ferramentas poderosas que utilizamos hoje.

Antes de começarmos a falar de toda sua importância e suas ferramentas, façamos uma análise do que seria o conceito de controle de estoque. Segundo Ballou (2015, p.2014):

“a armazenagem de mercadorias prevendo seu uso futuro exige investimento […]. O ideal seria a perfeita sincronização entre oferta e demanda de maneira a tornar a manutenção de estoques desnecessárias”

Partindo deste pressuposto podemos dizer que o controle de estoque nada mais é do que a administração de matéria prima, mercadorias acabadas, patrimônio da empresa e materiais de uso cotidiano de forma a reduzir custos para a organização onde é utilizado.  Agora que já sabemos o que é o controle de estoque vamos falar sobre sua importância e ferramentas.

Umas boas parcelas de empreendedores, na maioria de pequeno e médio porte, já alegaram não realizar o controle de estoque por falta de tempo, capital, dentre outros motivos. Não é necessária que uma análise seja muito detalhada para mostrar o quando uma empresa perdeu em um ano, sem um controle eficiente de estoque. Existem dois principais custos relacionados ao estoque, que são:

  • Custo de pedido – despesa relacionada ao pedido do cliente podendo ser divido em custo do pedido e custo de logística ou frete
  • Custo de manutenção – levaria em consideração todo o esforço financeiro que temos ao guardar estoque e é relacionado ao custo de capital, armazenagem, serviços de estoque e risco de estoque

Como estamos falando do controle de estoque vamos pegar por base o custo de manutenção, que pode chegar a aumentar até 25 % do custo do seu produto, apenas por armazená-lo de forma indevida.

Como falamos anteriormente temos relatos bem antigos sobre o controle de estoque, porém foi em 1960 que tivemos um dos maiores avanços nesta área com a criação do código de barras, que foi padronizado em 1974. A área foi só evoluindo até que em 1990 foram criadas as primeiras ferramentas de controle, que estão evoluindo até hoje. Vamos citar três delas:

  • PEPS – conhecido também por sua sigla em inglês FIFO (first in first out) é um método de expedição de mercadoria, primeiro que entra primeiro que sai, sendo assim tudo o que chegar primeiro no estoque terá também de sair primeiro. Este método é muito útil para se calcular com exatidão sua margem de lucro. Supomos que uma loja de roupas compra 50 camisas a R$ 10,00 e dentro daquele mês são vendidas 40 camisas. Feito isso o proprietário faz um pedido de mais 50 camisas, porém desta vez o preço pago por unidade foi o de RS 11,00. Assim, como método PEPS, o proprietário venderá primeiro as 10 camisas restantes, sabendo que seu custo foi o de R$ 10,00 e que então as próximas estarão com valores ajustados.
  • SEM – sigla em inglês para Supplier Relationship Management (Gestão de relacionamentos com fornecedores). Assim como o CRM (Customer relationship management) tem como intenção simplificar o relacionamento empresa x cliente, o SRM tem como intenção simplificar a relação empresa x fornecedor. Consiste em sistemas que encurtam a distância entre as empresas e seus fornecedores, possibilitando melhores prazos de entrega, o que acarreta menos estoque parado,
    resultando em menos custo e diminuição do custo final do produto.

 

  • WMS – é a sigla de “Warehouse Management System“, ou “Sistema de Gerenciamento de Armazém” em português.  Trata-se de um sistema usado para o gerenciamento de espaço do armazém ou do seu estoque em geral. Com o WMS você pode gerir melhor o espaço do seu estoque podendo aumentar a lotação máxima e ter agilidade na procura de um produto, já que seu controle será bem detalhado, muitas das vezes até por prateleira.

Você sabia que tudo o que falamos pode ser encontrado dentro do Touchcomp ERP? Não é por acaso que temos como propósito oferecer soluções “Simples e Completas”. Vamos conversar?